domingo, 8 de julho de 2007

Não Dá Mesmo


E incrivelmente acontece o contrário: nunca vi, como nos últimos tempos, tanto carro-forte circulando pelas ruas, a luz do dia, entre carros levando crianças para escolas, entre pedestres deslocando-se para o trabalho. É todo dia. É toda hora. Morro de medo.

Vejo um deles e trato logo de desviar. Dirigindo e principalmente quando estou a pé. Esses dias fui cortada por um 'forte' quando cruzava a Félix com a 24. Tenho transitado muito por ali. Muitos bancos. Muitos carros-fortes transportando dinheiro.


Dá medo. A insegurança é enorme. Jamais entro em banco se tem carro-forte na redondeza. É óbvio que o risco é enorme. Afinal, se roubam e matam por um tênis, o que não farão por milhares de reais?

Pelo amor de Deus, proíbam esses monstros de circularem entre nós. Precisamos salvar vidas como a da Cristiana, que morreu essa semana, no meio de um tiroteio, no início de uma noite de segunda-feira, quando passava por um caixa eletrônico, antes de ir para casa, em Porto Alegre.


2 comentários:

Karina disse...

A violência está horrível mesmo. Essa menina morreu a poucas quadras da minha casa, um horror. Vamos rezar para as coisas melhorar, só assim mesmo...

Carlao disse...

Não a conhecia como muitos que tem sido vitimas da violencia mas posso afirmar a todos que esse sentimento de tristesa reflete a nossa culpa pela incapacidade de eleger politicos serios pela falta de interese sobre leis mais duras e energicas pelo fato de não se metermos em questões simples como onde ou quando os carros fortes devem parar afinal não é da nossa conta isso passa a ser da nossa conta quando uma jovem inocente tem sua vida interonpida por marginais quando se poupa o lobo sacrificase as ovelhas por tanto quando alguem defender os direitos humanos lembrese dessa jovem poderia ter sido eu vc ou alguem das nossas familias parabens para a familia que fez uma passeata quando se mata alguem na vila impedese a morte de uma cristina em algum lugar desse estado a vingança é o preço da justiça Ha não sou politico apenas alguem que não deseja passar por isso que a familia dela esta passando